Linhas de Pesquisa

Ao longo dos anos, as linhas de pesquisa do PPGH/UFGD consideraram as potencialidades da pesquisa histórica num contexto de fronteiras caracterizado por relações complexas em que se faz presente uma numerosa população indígena e os contatos com Paraguai, Bolívia e Argentina. A construção e inserção do Programa de Pós-Graduação em História numa ambiência fronteiriça marcada por desigualdades e pela diversidade cultural exigem constantes releituras que tratam do lugar ocupado pela produção histórica na dinâmica social. Os amplos sentidos atribuídos à fronteira não restringem as linhas de pesquisa às abordagens regionais, mas possibilitam compreender relações de poder, identidades e representações em escalas diversas.

 

Linha 1 – História Indígena e do Indigenismo

A linha caracteriza-se por um viés interdisciplinar que exige o diálogo da produção histórica com técnicas, métodos, fontes e teorias da Arqueologia, Antropologia, Linguística, Etnografia e Iconografia. Os estudos de povos indígenas e de suas múltiplas interfaces com sociedades em escalas nacionais, regionais e locais, configuram um arcabouço temático que engloba trajetórias históricas, questões ecológicas e socioculturais de povos nativos da América, processos de conquista e de colonização, desterritorializações e reterritorializações, imaginário e representações acerca das alteridades indígenas, ações políticas e discursos indigenistas produzidos por órgãos públicos, entidades civis, instituições e movimentos sociais.

 

Linha 2 – Sociedade, Política e Representações

A linha congrega pesquisadores que se dedicam às relações sociais e políticas em vários âmbitos da sociedade e da temporalidade. Estado, instituições, movimentos sociais e diferentes instâncias de poder, em suas práticas e representações, constituem o campo privilegiado de análises com perspectivas temporais que transitam dos estudos coloniais a questões da contemporaneidade. Os eixos temáticos contemplados são instituições e poderes; história e movimentos sociais; história e mídias; história e trabalho; ensino de história; história agrária; cotidiano; sociabilidades e poderes.

 

Linha 3 – Fronteiras, Identidades e Representações

A linha acolhe problemáticas que expressam uma diversidade de objetos, abordagens e temporalidades numa tendência interdisciplinar. Experiências históricas fronteiriças delineiam pesquisas em diferentes ambiências caracterizadas por interseções culturais, sociais, políticas e econômicas. O amplo sentido atribuído às fronteiras abrange apropriações e relações dialógicas que constituem memórias históricas, identidades, representações e práticas sociais, tecendo analogias entre a História e diversos campos de conhecimento, como imprensa, literatura, religião e religiosidades, gênero, sociedade e natureza, cidades, colonizações e migrações.